Como o ciclo mestrual influencia a sua libido

sexta-feira, 17 de abril de 2020 08:05:17 America/Sao_Paulo

1° Semana: Menstruação – Clitóris mais sensível


Seu seu organismo – Os níveis de estrógeno e testosterona, além da ocitocina (o hormônio do aconchego), estão nas alturas, por isso surge uma grande onda de bem-estar e relaxamento. “O estrógeno, especialmente, apura os cinco sentidos, fazendo os seus beijos parecerem mais intensos e o seu parceiro, mais atraente”, diz Gabrielle Lichterman, autora de 28 Days (Ed. Adams Media Corporation – 28 Dias, inédito no Brasil). A testosterona, combinada à ocitocina, estreita os laços afetivos e faz com que aquela mania chata do seu amado fique menos evidente.
O que fazer – Muitas mulheres não gostam de transar menstruadas. “Porém, é nessa fase que o seu cli-tóris está mais sensível, o que pode garantir orgasmos”, indica Carla Cecarello, sexóloga e coordenadora do Ambulatório de Sexualidade (SP). Para quem se incomoda com a secreção, vá para o chuveiro com o parceiro. “De pé, e com você de costas, ele pode penetrá-la enquanto estimula o clitóris”, su-gere. Só não se esqueça da cami-sinha. “A menstruação altera o pH vaginal, deixando a mulher vulnerável a doenças”, diz a ginecologista Rosa Maria Neme (SP).

2º Semana: Pós Menstruação – Lubrificação intensa


O seu organismo – O nível de testosterona continua crescendo, preparando o sistema reprodutor para a ovulação. Como bônus, a calmaria reina no seu corpo – e o erotismo também. “É nesse momento que você mais entende a cabeça dos homens, até mesmo porque o orga-nismo dos dois está em sintonia”, comenta Carla Cecarello. Cientistas da Universidade da Califórnia (EUA) descobriram que as mulheres criam mais expectativas – e fantasias – sobre o parceiro quando estão no meio do ciclo. E como nessa fase acham os seus amados os melhores homens da face da Terra, ficam mais dispostas para o sexo.
O que fazer – “A lubrificação vaginal está maior, e a tendência a ficar mais desinibida e relaxada também”, ressalta Rosa Maria Neme. Que tal sair da mesmice e curtir momentos a dois em outros cômodos da casa? Solte a imaginação e aproveite!

3º Semana: Ovulação – Libido a Mil

O seu organismo – Começa a queda do estrógeno e da testosterona e a subida da progesterona. “Esse último hormônio, particularmente, é um dos responsáveis pelo aumento da libido”, diz o ginecologista João Luiz Scaff, da Clínica São Paulo de Saúde da Mulher. Ao mesmo tempo, é comum você ficar mais emotiva e com a sensação de que sugaram a sua energia. A razão é biológica: neste período deveria acontecer a fecundação do óvulo, então, o seu corpo procura se proteger contra um possível risco.
O que fazer – Um sexo carinhoso e cadenciado é tudo o que você precisa no momento. Que tal ficar abraçadinha com o seu amor? “O bom e velho papai-mamãe é o que há de melhor para curar a carência”, diz Carla Cecarello. Aproveite que estão juntinhos para assistir a um filme bem água com açúcar: um estudo da Universidade de Kansas (EUA) descobriu que esse tipo de programa aumenta o nível de ocitocina tanto em homens quanto em mulheres.

4º Semana: Tensão Pré-Menstrual – Menos é Mais


O seu organismo – O humor pode variar como o vento por causa da queda do estrógenio e da progesterona. “Isso diminui também os níveis de serotonina e de endorfina, os hormônios do bem-estar”, explica João Luiz Scaff. Sua concentração não está lá muito boa, o que faz com que o orgasmo demore para chegar. Cientistas da Universidade McGill, no Canadá, constataram que, quando as mulheres se distraem com algo fora das quatro paredes, elas mantêm a excitação por apenas 12 minutos. Moral da história: a ordem é ter foco.
O que fazer – É difícil imaginar algo excitante quando os seios estão doloridos e o corpo sofre com a retenção de líquidos. “Há mulheres que engordam até três quilos neste período”, diz – para o nosso desespero! – a ginecologista Rosa Maria Neme. Uma opção é pular as preliminares e evitar as posições nas quais você fica em evidência, como por cima do parceiro. Mas nem tudo está perdido: “Como o endométrio (camada interna do útero) começa a afinar, as terminações nervosas da região genital ficam mais sensíveis”, comenta João Luiz Scaff. Portanto, invista em posições que deixam o clitóris ao alcance do parceiro. E não se esqueça de que, na próxima semana, tudo recomeça – e pode ser ainda melhor…
 

Fonte: MdeMulher