Ponto G Feminino: tudo que você tem medo de perguntar

quinta-feira, 4 de junho de 2020 09:13:54 America/Sao_Paulo

O ponto G é uma região esponjosa, dentro do canal vaginal, que tem um certo número de terminações nervosas, com uma leve saliência (um pouquinho mais protuberante, não pensa besteira) localizada na região da uretra, que é por onde sai a urina.

Apesar de ter a sua existência controversa, o ponto G, tem esse nome para homenagear o médico ginecologista alemão que descobriu essa região, Dr. Ernst Graefenberg.

Anatomicamente falando, existem duas correntes de pesquisadores que divergem sobre a sua existência.

Um estudo sobre o ponto G, publicado em 2017 pelo Journal of Sexual Medicine, realizado com 13 cadáveres do sexo feminino, foi categórico ao afirmar que não existe qualquer prova fisiológica da existência do ponto G.

Mas os estudos de 2012, publicados da mesma instituição, afirma que apesar do ponto G não ser uma estrutura anatômica discreta, constata que há uma hipersensibilidade nesse região.

Independente dessas controvérsias, posso confirmar a existência do ponto G enquanto mulher, pois sinto e sou muito feliz pelos prazeres que ele me proporciona. E acho que posso falar por minhas várias alunas de pompoarismo também.

Se o ponto G não existe eu devo ser uma aberração da natureza e obrigado por isso meu bom Deus.

Como encontrar o ponto G?

Meninas, boa notícia!

Se você sabe fazer o famoso gesto do “vem cá meu bem” com os dedinhos, você está no caminho certo, pois todas as mulheres que têm uma pepeka possuem o ponto G.

O ponto G, fica no primeiro ⅓ do canal vaginal, isso representa aproximadamente de 5 a 7 centímetros da entrada da vagina, por isso não há necessidade do parceiro ter um pênis fenomenal para alcançá-lo.

Como estimular o seu ponto G?

Primeiro, lubrifique bastante a região vaginal para ficar estimulada. 

Depois, introduza de um a dois dedos na região da parede da vagina, fazendo a posição de “vem cá meu bem” fazendo movimento circulares para estimular as terminações nervosas da região.

Com a outra mão dê uma leve pressionada na região pubiana, para aproximar o ponto G dos seus dedos, que neste momento estão inseridos na sua vagina.

Pronto, relaxe e goze.

É possível encontrar sozinha?

Como já falei, basta ter dedinhos e saber fazer a posição correta.

Mas se você está sozinha, use um vibrador específico, aqueles que tem uma leve inclinação na ponta, isso pode ajudar você a encontrar melhor essa região.

Depois que você souber onde é o seu ponto G, ficará muito mais fácil de você ensinar o seu parceiro a encontrá-lo. Isso vai ajudar os dois a encontrarem as posições mais agradáveis para potencializar a região.

As melhores posições sexuais para melhor aproveitá-lo?

Vou falar de duas posições bem simples que podem te ajudar a ter orgasmos pelo estímulo do ponto G.

Uma dessas posições é o famoso, papai e mamãe, mas com um travesseiro abaixo do bumbum da mulher, pois o travesseiro ajuda a arquear o quadril e fica mais fácil acessá-lo.

Para as pompoaristas outra posição fantástica é sentada. O parceiro senta-se em uma cadeira, ou coisa do tipo, e a parceira senta de frente por cima dele. Uma vez sentada basta realizar os movimentos clássicos do pompoarismo.

Como o pompoarismo pode te ajudar a encontrar o ponto G?

Como o pompoarismo é um exercício que estimula a autodescoberta da sua fisiologia é uma das práticas que melhor trazem benefícios para a busca do orgasmo.

Com os exercícios de pompoarismo, há uma tendência natural de estreitamento da região do canal vaginal, por isso durante a relação se tem controle e domínio para estreitar a região e torna-se automaticamente mais sensível.

O pompoarismo pode te ajudar bastante a encontrar o seu ponto G, mas ele vai te proporcionar outros diversos tipos de orgasmo, vai por mim.

Se você que conhecer um pouco mais sobre os exercícios de ginástica íntima, basta baixar o e-book gratuito que preparei com muito carinho para você.

O que é o G-Shot?

O G-Shot é um tratamento clínico, não cirúrgico, que por meio de uma injeção de uma solução composta por colágeno e ácido hialurônico, no local próximo ao ponto G promete aumentar o volume da região. 

Esse aumento de volume propicia o maior contato do pênis com a região do ponto G, por isso acredita-se que o orgasmo é conseguido de maneira mais rápida.

Parece uma solução mágica, mas preciso te falar umas coisinhas bem importantes.

  • Primeiro é que trata-se de algo um pouquinho fora da realidade econômica do nosso país.
  • Você precisa ficar até um mês sem ter relações sexuais para ter os resultados prometidos.
  • O G-Shot tem um prazo de validade que dura cerca de seis meses a um ano devido a absorção do colágeno pelo organismo, ou seja, para continuar tendo resultados você deverá continuar aplicando.
  • Por se tratar de uma intervenção clínica, é necessário muita pesquisa e estudos dos locais e profissionais que trabalham com tal procedimento, para que esta seja a decisão mais segura possível a ser tomada, afinal trata-se do seu corpo.

Promessas como essa que necessitam de uma intervenção deve ser conversada com um especialista de saúde.

Elas apresentam uma solução mágica, que merece muita atenção e cuidado, pois não estão resolvendo a questão na fonte do problema. 

Lembre-se sempre, que antes de começar a pensar em soluções radicais a falta de orgasmo, é importante examinar alguns fatores como:

  • como está o seu relacionamento, 
  • problemas médicos e de saúde
  • uso de medicamentos 
  • seus níveis de estresse

Todos esses problemas podem ser facilmente solucionados com a prática do pompoarismo, que é algo gratuito, desperta o autoconhecimento, é para vida toda e não tem efeitos colaterais. 

O orgasmo do ponto G é igual ao vaginal?

Orgasmo é orgasmo.

Algumas mulheres têm orgasmos maravilhosos com a estimulação direta da vagina e do clitóris, outras encontram com estimulação intensa do ponto G, você pode querer explorar as diversas possibilidades do orgasmo, mas o melhor orgasmo é aquele que você consegue ter, o caminho não é o mais importante.

Orgasmo é sempre bom, independente da forma que ele acontece.

Fonte: Mulheres Bem Resolvidas